sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Portal

Ao som de um violão uruguaio,

à beira do Tapajós revolto.

Mil tons no céu que me leva,

azuis, rosas, escarlates, gris.

Grito em nome de um amor que não vibra,

sangro em nome de uma vida que não vem,

cruzou o portal de luz em busca da infinitude.

Lumar(02/02/11)

Um comentário:

Ana Maria disse...

Oi Lucinha!! Parabéns pelo blog, tá tudo muito lindo, profundo! Desde já tens a minha admiração e carinho! E quanto ao portal, obrigada por nos presentear e colocar em forma de poesia o que a gente tem de mais bonito para comtemplar!!!