sábado, 18 de outubro de 2008

Respir-Ação

Só dói quando eu respiro
Só dói quando eu me inspiro,
E expiro

Só dói quando a verdade é clara
E se mostra aos seus olhos
E quando as suas criticas chegam aos meus ouvidos

Quando o alvorecer chegar
E com ele as novas do oriente
Que ele traga consigo novas oportunidades
Para mim, para você e para os seus santos

Quando o crepúsculo vir
É melhor que toda a minha dor de extinga
Que a sua nobreza se esqueça
Que não exista mais beleza

Só dói quando eu respiro
Só dói quando a resposta não tem mais viço
Só dói enquanto eu sinto
Só dói enquanto eu vivo

Lucius Olliveira

3 comentários:

CEFT-Bam disse...

Manoo, isso foi uma das coisas mais bem feitas que eu já li.
Vá em frente, pois ficou muito bom.
Marquinho

Kellyzita disse...

Você possui um talento impressionante!
As palavras do seu poema exalam o sentimento de uma alma sensível e vibrante!
Parabéns!!!

SrSaladino disse...

vlw por todos os elogios ao meu poema...
prometo q escreverei mais!