segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Confabulações Bruxológicas

Eis que estamos aqui!
Entre tragos e goles de cerveja,
Petiscos e bom papo.
Olhos espreitam
Silenciosos, passageiros, misteriosos....
Nada precisa ser revelado.
Nada precisa ser calado.
Eis que nos encontramos
No encantamento de fadas e gnomos.
E que fazemos da vida,
a mágica das palavras em poesia.
Que tornamos o impossível,
passível de ser vivido.
Que tornamos o distante,
o mais tangível, o mais táctil, o mais real.
E por um triz,
Vivemos o tênue limite do amor e ódio.
Humanos que somos!
Falíveis que somos!
Superáveis que somos!
Sujeitos as intempéries, ao efêmero.
Nada temo? Nada temes?
E... Vulneráveis.... Frágeis....
Surpreendemos na reviravolta,
Dando a volta, virando esquina,
retomando a vida por outro caminho.
Sim!! Queremos a chance de fazer valer nosso viver!
Fazendo juz a quê viemos,
Viver feliz pelo simples fato de estar vivo.

Lumar e Andrea Imbiriba (27/12/08)

Um comentário:

Icamiaba disse...

Oi Marquinho!
Hoje finalmente, depois do apertão..rs.., resolvi entrar.
Gostei do Blog. Caro que ainda há muita coisa por ler, pensar e sentir..., mas gostei muito das Confabulações Bruxológicas.
Vou voltar mais vezes.
Parabéns pelo Blog!
Bjs.