domingo, 1 de março de 2009

Cinema com pimenta

Hoje não. Amanhã quem sabe?
E a minha lida,
escrita, falada,
Me diz que eu tenho que seguir.
Sempre seguir em frente,
desbravar, descobrir, desconcertar.
Mas hoje não. Não tem começo.
" E a minha aventura esta fadada ao desassossego da alma".
Desassossego que tem vôo de borboleta,
Desassossego que incendeia,
Desassossego de pôr de sol.
Precisamos de mais,
Precisamos descobrir.
A saga do matulão contra o canoeiro,
nesse mês na luz da lua cheia.

Lumar e Marquinho Mota

Um comentário:

veleida disse...

Ééééégua mulek,tu tá cada vez melhor!!!!essa alma desassossegada te faz terreno fétil da poesia,valeu!