sexta-feira, 13 de março de 2009

O Vôo do bárbaro

Estive voando por sobre as nuvens
tentando encontrar razões para tanta dor,
buscando encontrar explicações para tanta solidão.
Só encontrei apenas a tua ausência como resposta.

Quero sentir novamente o calor da tua boca
colada a minha,
provar teu gosto com a minha alma
e me perder em teu sorriso,
enquanto a chuva cai despreocupadamente lá fora.

Estive voando sobre a floresta
na esperança de que nas árvores
além do verde da clorofila
estivesse o branco da tua pele
fazendo brilhar meus olhos
com fogo, amor e paixão.

Estou voando próximo ao chão.
Estou de volta a realidade.

Marquinho Mota

2 comentários:

Lucia Helena disse...

Voar é simplesmente o momento mais mágico de sentir.
Voe mais, sinta mais, seja mais.
Do carai, sempre.

Jorge disse...

Para o mortal o voo é imprescindivelmente nescessário, para que se tenha sentido a vivencia em uma mediocracia estupida em que vivemos, onde pessoas so te magoam.
Licia Cris