domingo, 29 de março de 2009

Estrada das estrelas

O difícil da viagem é não ter pra quem voltar.
Não ter ninguém pra contar as novas,
Não ter ninguém pra lhe coçar as costas,
Não ter ninguém para acalentar.
E nessa estrada de águas
onde não existe esquinas,
só resta a luz pálida da lua,
a sombra da mata espessa,
e a sinalização das estrelas
indicando o ponto para regressar.

Lumar e Marquinho Mota

Um comentário:

CEFT-Bam disse...

Isso sim é poesia. Parabens